A itália será o 1 ° país em que a volta a abrir as suas fronteiras, com o apoio das nações unidas, Só Boas Notícias

Coliseu em Roma Foto: PixabayO coliseu de Roma (Foto: Pixabay

A itália foi a escolhida pela OMT, Organização Mundial do Turismo, a assinatura de um convênio com a Organização das Nações Unidas, ONU, para o início da #RestartTourism.

No país, o que é um dos países mais procurados por turistas de todo o mundo, e foi o mais afetado pela epidemia de coronavírus, que começa com a reabertura das fronteiras externas, o Acordo de Schengen.

Esta é a primeira vez na história em que as duas pessoas que se fecham no acordopara o desenvolvimento do turismo rural e gastronômico italiano.

Hoje em dia, os limites são abertos apenas para os países participantes neste tratatado.

A ideia é relançar o turismo é um setor importante para a economia italiana, e em todo o mundo.

O secretário-geral da Organização Mundial do Turismo, Zurab Pololikashvili, acompanhado da diretora da união da instituição, Carlos Priante, visita a Roma, Milão e Veneza, entre as reuniões dos ministros de Dario Franceschini, de Luigi Di Maio, e os prefeitos das cidades do país.

O turismo, que representa 13% do PIB italiano tem sido um dos setores mais afetados no país, mas que agora começa a dar sinais de melhoria em alguns aspectos.

A chegada de turistas internacionais que sofreram uma queda de 44% nos primeiros quatro meses do ano 2020, em comparação com o mesmo período do ano anterior, e um aumento espetacular dos -97% devido a restrições de viagens, com o fechamento das fronteiras.

Com estes dados, de acordo com os cálculos da OMC, constituem uma das perdas de 180 milhões de chegadas internacionais em todo o país, na comparação com o mesmo período no ano de 2019, e com um mínimo de US$195 milhões de dólares a entrada de turistas.

Com informações da SEDE

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *