A mulher, que vivia na rua da tomada Covid, e se reencontra com sua família, depois de 10 anos de idade, Só Boas Notícias

Carla na vídeochamada com a família - Foto: reprodução / TVGloboCarla, na vídeochamada com a família Foto: reprodução / TVGlobo

Na vida de Ruth, Vieira da Silva, de 37 anos de idade, tinha de tudo, para estar com os dias contados. Longe da família, com mais de 10 anos de idade, em função da rachadura e as pessoas que vivem em situação de rua, no Rio de Janeiro, brasil, tomou-se Covid-19 e foi parar ao hospital da cidade.

Carla procurou ajuda na preservação de cristiano Ronaldo Gazzola, no dia 15 de maio, mas que teve uma crise de abstinência, e o abandono do tratamento.

Perene, com uma equipe multidisciplinar do hospital e foi atrás dela, e os profissionais de saúde e a convenceu de ficar internado para receber tratamento.

A família

A ajuda veio de fora”, por parte de uma videoconferência membros da família dela, que se desenvolve em Lagoa da Prata, Minas Gerais, brasil.

Nas chamadas, as visitas virtuais a carolina que se reaproximou da família, e viu-se um novo sentido à sua vida.

“Isso me deu vontade de viver de novo”, disse ao G1.

Nas conversas que se deram as forças do paciente, por isso que contra a Covid-19 e às pessoas dependentes.

“De alguma forma, a Covid-19 no fato de que ela resgatado de sua vida. Obteve o sentido da vida”, diz a psicóloga Paola Suarez.

Desenhar

No hospital, descobriu que os lápis de cores, um hobby e uma forma de sair do vício das drogas.

“Quero sempre estar na condição de projeto. Este é agora o meu vício”, disse.

Agora, recuperada pelo novo coronavírus, que será acolhida por parte dos familiares.

Com informações do G1

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *