As Empresas voluntárias, reparadores de mil respirador e enviadas para os hospitais, Só Boas Notícias

Respirador funcionando - Foto: reprodução / PortalDaIndústriaEquipamentos de proteção respiratória trabalhando Foto: reprodução / PortalDaIndústria

Cada um faz a sua parte, e com a união e a responsabilidade social. Na rede, de forma voluntária, formada pelo SENAI, o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial e da grande indústria e das instituições, já foi informado de 1.016 respiradores para os hospitais de mais de 223 cidades do país.

Os ventiladores pulmonaresque são essenciais para o tratamento de pacientes com covid-19 de julho, foram reparados de forma gratuita. Ele estava sem uso e que passaram pela reparação dos 39 pontos de manutenção, localizadas em mais de 20 países.

A partir de 30 de março, a Iniciativa de + Manutenção dos Respiradores começou a funcionar, foram recebidos 3.151 respirador.

Destes, 1.351 se encontram nos serviços de manutenção e 189 passam através da calibração, o último passo antes de ser devolvida ao serviço de saúde.

As Empresas que já

A iniciativa conta com a colaboração das unidades do SENAI, e de vários parceiros, tais como:

  • A Arcelor mittal,
  • O BMW Group
  • Fiat Chrysler Automóveis (FCA),
  • Além disso,
  • General Motors
  • Honda
  • A Hyundai Motor Brasil,
  • O Instituto De San Isidro,
  • O Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT)
  • POLI-USP),
  • Jaguar E Land Rover
  • O Mercedes-Benz do Brasil,
  • Moto Honda
  • Renault,
  • Man,
  • Toyota
  • Troller,
  • A Usiminas,
  • Vale,
  • Volkswagen do Brasil
  • Volvo do Brasil

“É uma grande honra para o SENAI coordenação com a rede, do bem, da solidariedade, que, sem dúvida, ajudou a salvar muitas vidas. A marca de mil, os ventiladores pulmonares e corrigir de forma gratuita, demonstra-se que a unidade é o caminho para que o Brasil vai enfrentar a pandemia”, afirmou o diretor-geral do SENAI, Rafael Lucchesi.

O apoio de

A iniciativa conta com o apoio da força aérea brasileira, o Ministério da Saúde, o ministro de Economia e finanças, o Ministério da Defesa e a Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI) e a Associação brasileira de Engenharia Clínica (ABEClin).

“Na rede, de forma voluntária, espera continuar contando com o apoio para a reparação de todos os equipamentos que estão em uso no país, por falta de manutenção”, disse Rafael.

A estimativa da LifesHub Analytics, bem como da Associação Espanhola de Medicina (ACM), que era o que havia, ao menos, 3,6 mil ventiladores móveis fora de uso no país, mas o número poderia ser muito maior. A prova é que cada aparelho pode ajudar no tratamento de até um máximo de dez pessoas.

O Estado de origem dos Equipamentos recuperados do Acre (brasil 2 Brasil, em 11 de Amazonas 11 da Baía De 130 estado do Ceará 65 do Distrito Federal, o 24 E o Espírito Santo, em 12 de Goiás (16 E 7 no estado de Maranhão, Mato Grosso, 11 No estado de Mato Grosso do Sul, Aos 39, Minas Gerais 143 Do Pará, no brasil em 26 de Paraíba 4 Paraná e 12 De Pernambuco, no brasil, A 13 de Rio de Janeiro A 24 de Rio Grande do Norte, em 8 de Rio Grande do Sul, o 29 E o de Santa Catarina, de 38 São Paulo 384 Imigrantes e 7 De um Total de 1016

A imagem de

Além disso, a manutenção, o SENAI pretende ampliar a oferta de um número de ventiladores pulmonares que são essenciais no tratamento de pacientes críticos na covid-19.

Uma das formas de aumentar a produção nacional.

As Empresas que receberam o apoio da instituição que tem o potencial de produzir até 7,2 mil equipes de cada mês, após a aprovação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), com a condição de que haja uma demanda contratada.

Com informações do Portal da Indústria

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *