Drica Moraes e agradece aos doadores de medula óssea: “eu Te devo a minha vida, Só Boas Notícias

Drica e Adilson - Foto: reprodução / InstagramEla e Ale – Foto: reprodução / Instagram

Um dos doadores de medula óssea que salvou a vida da atriz Drica Moraes e ela fez-lhe uma homenagem, um reconhecimento público a que se esta terça-feira, 23 de junho.

“Há exatamente 10 anos, o homem que me salvou a vida. Em 23 de junho de 2010, eu estava na corda bamba e que, graças à doação de medula óssea, estou aqui o dia de hoje. Obrigado Ale! @adilsonr123, te devo a minha vida, minha vida”, escreveu Ela em seu Instagram.

No post, é que só se reuniu com o Yuri, 5 anos depois da doação, e que se tornaram amigos.

“Nos conhecemos em apenas 5 anos após a intervenção. Não sabíamos quem éramos antes da reunião. Hoje em dia, falamos quase todos os dias. Tenho toda arrepiada”.

No post Dela, também agradeceu à equipe médica:

Obrigado também aos meus médicos que @nelsonhamere Wolmar Pulcceri, sem ti … nada mais…”.

A paciência e a fé

Graças à doação de Drica Moraes, de 50 anos de idade, que se cura com a idade.

A atriz, famosa por seu papel em novelas que marcaram época como “Xica da Silva”, Chocolate com Pimenta, O Cravo e cor-de-Rosa, e as Verdades Secretas, lembre-se que, no momento da doença, teve que isolar-se das pessoas e que tenha vivido algo parecido com o que o mundo vive hoje em dia.

“Ao longo de um ano em que o isolamento total de um dia, sem tocar ou ser tocado, o da máscara, o cateter, o que vai além da vida, de tocar, de acordo com o outro. Dor, angústia e incerteza. Hoje em dia eu vejo a humanidade de forma isolada, muito parecido com isso. É coisa de louco”, escreveu a atriz.

“Que bom que você passou. Mas o custo é muito elevado. Agora que vai acontecer. A paciência e a fé. Há uma característica da inteligência para além deste objetivo e do mal, de que se salienta a destruição de tudo de bom que há na parte de trás. Estes vírus, e as anomalias que vão transmitir. E nós sempre vamos estar na briga”, disse Drica Moraes.

 

View this post no Instagram

 

Há exatamente 10 anos, o homem que me salvou a vida. Em 23 de junho de 2010, eu estava na corda bamba e que, graças à doação de medula óssea, estou aqui o dia de hoje. Obrigado Ale! @adilsonr123, te devo a minha vida a seu irmão. Pudemos ter apenas 5 anos após a intervenção. Não sabíamos quem éramos antes da reunião. Hoje em dia, falamos quase todos os dias. Tenho toda arrepiada. Obrigado também aos meus médicos que @nelsonhamer e Wolmar Pulcceri, sem vocês nada de nada…Há mais de 10 anos no exílio durante mais de um ano, em um isolamento total, sem ver, sem tocar ou ser tocado, o da máscara, o cateter, o que nos afasta da vida, do toque , do intercâmbio com o outro. Dor, angústia e incerteza. Hoje em dia eu vejo a humanidade de forma isolada, muito parecido com isso. É coisa de loucos. Toda arrepiada. Que bom que você passou. Mas o custo é muito elevado. Agora que vai acontecer. A paciência e a fé. Existe o afeto e a inteligência, para além desta corrente do mal, de que se salienta a destruição de tudo de bom que há na parte de trás. Estes vírus, e as anomalias que vai acontecer. E nós sempre vamos estar na briga.

O post é compartilhado por Drica Moraes (@oficialdricamoraes) on Jul 23, no ano de 2020 às 11:31am do PDT

Por Rinaldo de Oliveira, da redação da SóNotíciaBoa

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *