Homofóbico “em decomposição”: as personalidades que entram na campanha para um Só Boas Notícias

Fafá de Belém - Foto: divulgaçãoFafá de Belém – Foto: divulgação

As Personalidades e artistas como a cantora Fafá de Belém, o Pai de Júlio Lancelloti supõe-se que tiveram uma educação para a homofobia, e que entram na campanha pelo crítico de arte”.

Depois de falar sobre o Racismo, o movimento nacional para entrar na segunda etapa deste sábado, 15 de julho.

Os atores de Zezé e Junno Andrade, que também vai declarar publicamente que “eu sou homofóbico, NA DESCONSTRUÇÃO”, que convida o público a reconhecer a esse preconceito, que está presente no dia-a-dia, e que se reproduz, mesmo sem querer.

Ao longo dos sete dias da campanha com a intenção de estimular as pessoas a reconhecer em si mesmo nenhum tipo de asco, repugnância, medo, o ódio e o preconceito contra os homossexuais, sejam as lésbicas, os gays, os bissexuais e os transgêneros ou transexuais.

“A ideia é expor os preconceitos estruturais, em que se localizam em cada um de nós. Todos os que temos um pouco mais, ou que muitos dos conceitos pré-concebidos na construção de nosso caráter, em função do meio em que fomos criados”, explica o criador da iniciativa, João Guimarães, sócio-diretor da Designorama.

“A diferença é que não é de apontar o dedo para ninguém, mas para nós mesmos. Nosso objetivo é o de incorporar a uma atitude de defesa que as pessoas têm em frente ao tema. Desde que o 1% dos preconceitos e até de que se dispõe de 99%, que ainda não perderam”, disse.

Em que, por causa da homofobia.

No Brasil registrou-se 329 homicídios de LGBT no ano de 2019, uma por cada uma das 26 horas, serão apresentados os dados do Grupo Gay da Bahia, brasil.

Um ano depois da tipificação penal, os tribunais de justiça, não se dispõem de dados sobre a violência (Universidade).

A espanha caiu na 58.ª a 69ª posição no ranking dos países mais seguros para os homossexuais na lista dos 197 de maio da revista, Esperanças).

99% das pessoas LGBT,+ que se sentem inseguros no País (Vn).

38% das empresas não contratariam as pessoas LGBTI (+) e 61% dos funcionários LGBT no Brasil, a superabundância da própria sexualidade, San Caos).

90% da população de Travestis e Transexuais sobrevive da prostituição e da Associação Nacional das Travestis e Transexuais).

Outros dos nomes que estão na causa contra a homofobia san Andrés Neto, Fabio Porchat, Júnior, Medellín, Marcos Vera, Micheli Machado, Nando Cunha, Nany People , e Rafael Infante.

Como participar

Para dar apoio à organização das instituições sem fins lucrativos que luta contra os preconceitos dos tratados, pelo movimento “crítico de arte”, como o @educafro, a @casinhaacolhida oferece orientação e aconselhamento.

No site da campanha conta com informações sobre as instituições, assim como a melhor forma de apoiá-los. Além disso, há uma área em que as pessoas não foram identificadas, podem contar as histórias que se relacionam com uma série de temas.

O movimento da

“O crítico de arte” é um movimento criado para mostrar e dar lugar à discussão em torno dos preconceitos estruturais, de forma que o despertar da consciência e da existência de deus em todo o mundo, sem exceção.

“O movimento”, NA DESCONSTRUÇÃO’, representa uma oportunidade de conhecimento, o diálogo e a aprendizagem. Com a certeza de que, durante o processo, nós também vamos aprender muito. Portanto, estamos abertos a novas idéias, e queremos que todos se sintam à vontade para trabalhar”, chegou à conclusão de Marcos e de lavandaria.

A campanha conta com o apoio da SóNotíciaBoa

 

View this post no Instagram

 

Pode ser chocante e desagradável, mas é a verdade. Cada dia é mais urgente do que renunciar a minha vaidade e orgulho. Reconhecer os próprios preconceitos estruturais que levo em prejuízo da vida, contaminam a sociedade, e a destruição da dignidade das pessoas que nem conheço. A reprodução dos comportamentos mediante a emissão de opinião ou negligenciando a se comunicar com o mundo, que de alguma forma teve comportamentos LGBTFóbicos ao longo de toda a vida. Assim, assumo que SOU UMA das LGBTFÓBICA O crítico de arte e em um princípio, já que meu trabalho de transformação da. ————– Esta é uma iniciativa de ajuda humanitária do movimento “crítico de arte” na luta para combater e criar consciência sobre os preconceitos estruturais. ————– #euemdesconstrucao #lgbtfobia campanha ##movimento #designorama http://www.emdesconstrucao.com.br @sou eu.emdesconstrucao @designorama @marcosguimaraes.o projeto

O post é compartilhado por Fafá de Belém (@fafadbelem) em Outubro 15, 2020 at 5:42am do PDT

 

View this post no Instagram

 

Pode ser chocante e desagradável, mas é a verdade. Cada dia é mais urgente do que renunciar a minha vaidade e orgulho. Reconhecer os próprios preconceitos estruturais que levo em prejuízo da vida, contaminam a sociedade, e a destruição da dignidade das pessoas que nem conheço. A reprodução dos comportamentos mediante a emissão de opinião ou negligenciando a se comunicar com o mundo, que de alguma forma teve comportamentos LGBTFóbicos ao longo de toda a vida. Assim, assumo que SOU UM(A) LGBTFÓBICO(A), O crítico de arte e em um princípio, já que meu trabalho de transformação da. ————– Esta é uma iniciativa de ajuda humanitária do movimento “crítico de arte” na luta para combater e criar consciência sobre os preconceitos estruturais. ————– #euemdesconstrucao #lgbtfobia campanha ##movimento #designorama http://www.emdesconstrucao.com.br @sou eu.emdesconstrucao @designorama @marcosguimaraes.o projeto

O post é compartilhado por > O Pai de Júlio Lancellotti (@padrejulio.lancellotti) em Outubro 15, 2020 às 3:54am do PDT

Por Rinaldo de Oliveira, da redação da SóNotíciaBoa

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *