O Chef aproveita a privacidade e é quente para os mais necessitados, Só Boas Notícias

Chef Stein e as primeiras quentinhas - Fotos: arquivo pessoalChef de Sol e uma das primeiras a quente – Fotos: arquivo pessoal

O Chef de Vladmir Sol, não podia ficar parado, após o encerramento da Barnaldo seus Familiares, em São Paulo, e que agora, pelo isolamento social, o desfrute da experiência que se tem na alimentação para ajudar as pessoas necessitadas.

Sol se mudou para o lugar da família no Cosmopolita, no interior do estado, para o cuidado de sua mãe, dona Vandinha e chegou à cidade para fazer da acção social, o que é quente e as cestas básicas das pessoas que não têm trabalho e não têm o que comer.

Correu bem. Depois que um vídeo pedindo doações, os produtores, os comerciantes e os vizinhos começaram a entregar os alimentos nos pontos de coleta na cidade. (ver vídeo abaixo)

Além das cestas básicas, que são enviadas para a população e os comerciantes e produtores locais, também foram enviados às “caixas de mandioca, de milho e de batata”.

Com os ingredientes à mão, o chef, foi organizado um grupo de amigos reduzido, por causa da epidemia, para ajudar na produção e na distribuição das africanas.

As primeiras são doadas, junto com as cestas básicas deste fim-de-semana.

“Uma igreja que afundou na cozinha e no salão de baile para as pessoas. Despesas de 35 quente e 15 de cestas básicas. Este foi o primeiro dia, para que possamos entender a logística de transporte]”, disse Vladimir Sol , em uma entrevista com o SóNotíciaBoa.

Próximas ações

Contente com o resultado, o chef do Sol, disse que tem a intenção de manter e, possivelmente, aumentar a ação para o futuro, com a ajuda da ” sociedade Cosmopolita.

“A gente vai fazer a vez dos amigos, e todos os fins-de-semana se vai com um grupo pequeno, para poder doar os alimentos e aumentar a acção comunitária no lugar”.

Bem, para os mais necessitados, e também para que o próprio Sol, que adora o que faz, e que agora você pode conectar o útil.

“Não, não posso ficar parado. Eu disse que não. Há pessoas morrendo de fome aqui ao lado. Vamos simplificar todo o mundo, e fazer com que as pessoas podem fazer a diferença no interior”, disse.

Imagine que para cada pessoa que não tem amigos e que saiba cozinhar, embora não seja o chefe, eu fazia o mesmo na cidade ou no bairro em que mora… quantas pessoas deixariam de passar fome durante o isolamento social?

#PraPensar

Veja o vídeo da produção das primeiras quente:

Por Rinaldo de Oliveira, da redação da SóNotíciaBoa

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *