O governo assina um MP a R$ 2 bi e a vacina não pode sair em dezembro de Covid, Só Boas Notícias

Foto: Reuters / Athit PerawongmethaFoto: Reuters / Phra Athit Perawongmetha

É uma Medida Temporária, o que corresponde a Us$ 1,99 milhões de dólares para a produção de uma vacina de Oxford, contra a Covid-19, foi inaugurada nesta quinta-feira, 6, e o presidente Jair Bolsonaro.

O MP é atribuído um crédito extraordinário para tornar viável a produção de 100 milhões de doses da vacina, o suficiente para imunizar a metade da população brasileira.

A transferência de tecnologia e o estabelecimento, na embalagem e no controle de qualidade será feita por acordo entre a Fiocruz e a companhia farmacêutica AstraZeneca, que, em parceria com a Oxford, leva a cabo as investigações. Os ensaios que aqui em Portugal se iniciou no mês de junho.

No texto da entrada em vigor de imediato, e será enviada para análise no Congresso nacional, que tem 120 dias para que se aprove a medida, segundo informou a Agência Brasil.

A vacinação em dezembro

Se a vacina não foi aprovado, já que tudo indica que, para as primeiras de 30,4 milhões de doses que vão chegar em duas porções: a metade do caminho, um 15,2 milhões de dólares, no mês de dezembro e na mesma quantidade que no mês de janeiro.

Com o avanço da ciência, estamos convencidos de que, em dezembro, talvez, já que entramos no novo ano de 2021, com um mínimo de 15,2 milhões de brasileiros que vacinar covid-19 e que possamos, juntos, construir uma nova história da saúde pública de nosso país”, disse o secretário de Vigilância em Saúde do Ministério de Saúde pública, Francisco Correia.

Perto de um monte

Além destes dois lotes, com mais de 70 milhões de unidades em que a vacina estará disponível, pouco a pouco, a partir do mês de março de 2021.

O medicamento que está sendo desenvolvido pela farmacêutica britânica AstraZeneca, em colaboração com a Universidade de Oxford.

A direção do grupo Não é o que confirma que a vacina poderá estar disponível em português até o final deste ano.

A afirmação foi feita por Maria Augusta (Bernardini, diretor médico do grupo, o farmacêutico , que faz parte da pesquisa da universidade de Oxford, em parceria com a Universidade Federal de São Paulo (Unifesp).

“Esperamos que os dados preliminares, quanto à eficácia real, que já estão a disposição nos arredores de outubro e novembro”, disse Bernardini.

Apesar de que os voluntários são geralmente acompanhado por mais de um ano na prova, disse que existe a possibilidade de entregar a administração da vacina para a população, que antes desse período de tempo.

“Vamos analisar, em conjunto com os órgãos reguladores de todo o mundo, se é que podemos ter a autorização da inscrição, em caráter de exceção, o registro condicionado, de modo que a gente possa colocar à disposição da população, antes de ter sido desligado por completo os estudos”, acrescentou.

Planejar, Maria Augusta, Bernardini, recordou que os prazos de entrega podem variar de acordo com a evolução dos estudos.

O dinheiro

O Ministério da Saúde informou que o valor que se liberta da Medida cautelar que, desde o governo é dividido assim:

  • É de R$ 1,3 bilhões para o pagamento para os Não previstos no contrato de Encomenda da Tecnológica
  • Us$ 522,1 milhões de dólares para produzir a vacina da Fiocruz/Bio-Manguinhos
  • Us$ 95,6 milhões de euros para a absorção de tecnologia da Fiocruz)

Com informações da agência brasil e G1

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *