O hormônio do humor e do amor, previne a osteoporose, que se diz o estudo, Somente Boas Notícias

Foto: PixabayFoto: Pixabay

O hormônio do amor e do humor, o que faz com que as pessoas a estar mais satisfeitos e felizes, mas que também pode ser usado para o controle e a prevenção da osteoporose.

É o que descobriu um estudo da Crítica, da Universidade Estadual Paulista de buenos aires, no interior do estado de São Paulo, no brasil. Os cientistas descobriram que a oxitocina, o hormônio produzido pelo hipotálamo, conseguiu reverter os fatores que reduzem a densidade e a resistência dos ossos.

“Em nosso estudo foi orientado para a prevenção da osteoporose primária; por conseguinte, podemos fazer uma pesquisa de mecanismos fisiológicos que ocorrem no período que antecede a menopausa. Nesta etapa da vida das mulheres, e as medidas de prevenção para evitar que os ossos se tornem frágeis e em que ocorrem as fraturas, o que pode diminuir a qualidade e a expectativa de vida”, explica a professora Rita Menegati Dornelles, de Crítica, de buenos aires.

A renovação dos ossos

Os pesquisadores que se têm aplicado no processo de infecção de duas doses de hormônio oxitocina, com 12 horas de diferença entre uma injeção e outra.

Em comparação com o grupo controle, os animais que receberam a dose de oxitocina, se apresentaram e não apresentaram sinais de perda de massa óssea.

“A ocitocina ajuda a modular o ciclo de remodelação óssea de ratos senescentes. Nos animais que receberam o hormônio que tiveram um aumento dos marcadores bioquímicos associados à renovação do sangue, como a expressão das proteínas, o que favorece a formação e mineralização do osso”, disse Rita.

A menopausa

“Estuda muito depois da menopausa, quando a mulher deixa de menstruar. No entanto, as alterações hormonais que ocorrem antes, durante a perimenopausa, já que são muito fortes e que têm que ver com a diminuição progressiva da densidade óssea. São necessários estudos para a prevenção da osteoporose, ao final desta fase, já que no período após a menopausa, que representa cerca de um terço da vida deve ser vivida com qualidade”, reforçou o Momento.

Oxitocina

Os estudos mais recentes mostraram que um grande número de células, além das hipotalâmicas também secretam hormônios.

“A ocitocina é secretado pelas células dos ossos e dos estudos estão demonstrando que sua relação com o metabolismo dos ossos e das fêmeas durante o processo de envelhecimento. Em geral, as mulheres após a menopausa, com um nível de gênero, apresentam-se as mais baixas concentrações de oxitocina no plasma de sangue”, disse Rita.

As fraturas de quadril, por exemplo, têm uma incidência três vezes maior do que o corpo feminino.

Até que em 24% dos pacientes morrem no primeiro ano após a fratura de quadril, e o aumento no risco de morte, que pode persistir pelo menos durante um período de cinco anos.

Agora, o cientista que quer fazer novos estudos para se conhecer o efeito da oxitocina na prevenção da osteoporose em pessoas.

“O hormônio que ocorre naturalmente no corpo, e que já foi sintetizado em laboratório. Assim mesmo, deve-se fazer um estudo a longo prazo para a avaliação da eficácia, segurança e, também, para saber qual é a dose indicada de hormônio,” concluiu Momento.

Com informações de o Diário da Saúde

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *