Os investigadores descobrem os 64 mil tartarugas marinhas no sul da Austrália. O Vídeo, Só Boas Notícias

Foto: reprodução Great Barrier Reef FoundationFoto: reprodução da grande Barreira de Coral, Fundação

Os pesquisadores australianos têm utilizado a tecnologia dos aviões não tripulados para registrar a milhares de tartarugas marinhas que se encontravam em perigo de extinção nas Ilhas de la Reine, no estado de Queensland, na Austrália.

No vídeo de um dos membros da equipe, Christian Miller, que foi dada a conhecer a grande Barreira de Coral, o Livre, o passado dia 10 de junho, e uma amostra do que a renda, no ano 64 mil tartarugas verdes, que é a maior colônia do mundo.

As imagens foram captadas em dezembro do ano 2019, no âmbito do Projecto de Recuperação da Ilha Raine e são apresentadas em milhares de tartaruguinhas ao redor da ilha, com a esperança de colocar seus ovos. (ver vídeo abaixo)

A investigação

Andrew dunstan, do Departamento de Meio Ambiente e da Ciência (DES) e autor principal do artigo, disse que os pesquisadores estão investigando diferentes formas de realizar estudos em populações de tartarugas marinhas.

Os cientistas estão trabalhando para proteger as espécies em perigo de extinção e, portanto, estavam em consonância com o deslocamento das mesmas.

Antes, tinha tentado fazer um acompanhamento das tartarugas marinhas, a tinta não é tóxica e é assim que chegaram à areia da praia, para colocar seus ovos.

A observação foi feita em um barco, mas é uma tarefa muito difícil, e nada mais confiável do que contar com eles.

“Tente não contar com a precisão de milhares de tartarugas pintadas, e não pintada do barco, as condições meteorológicas ruins, é muito difícil. Uso de um avião não tripulado, é mais fácil, mais segura e mais precisa, os dados podem ser armazenados de forma imediata e de forma permanente”, disse.

“A relação de aspecto das tartarugas, não pintadas, e as pintadas que nos permitiu estimar o total da população, no passado mês de dezembro no 64.000 das tartarugas verdes.

A diretora executiva da Fundação da grande Barreira de Coral, Anne Marsden, disse que o grupo em que está tomando as medidas necessárias para melhorar e regenerar as praias de nidificação (ninhos) da ilha.

Estão-Se construindo cercas para evitar a morte das tartarugas marinhas, enquanto que os que trabalham para ajudar a fortalecer e garantir a sobrevivência das tartarugas verdes, no norte, e a de outras espécies.

No futuro, disse ele, “podemos automatizar essas contas, a partir das imagens e do vídeo e uso da inteligência artificial, para que o computador inicie a contagem regressiva para nós”.

Consulte os seguintes tópicos:

Com a informação de ABC7 e VoaNews

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *