Os voluntários retornam com o banho das pessoas que vivem nas ruas: covid, Só Boas Notícias

Foto: reprodução / DiárioDoNordesteFoto: reprodução / DiárioDoNordeste

Cada um fazendo a sua parte para ajudar em tempos de epidemia. Na cidade de Fortaleza, estado do Ceará, os voluntários receberam o dinheiro e se tornam nesta sexta-feira, de 15 a oferecer aos banhos, de graça, para as pessoas que vivem na rua.

A casa de Banho privativa Com Dignidade”, da organização não-governamental, O Pequeno Nazareno, é uma ação solidária, que oferece a higiene, roupas limpas e comida a esses brasileiros e aos necessitados.

Depois do banho, para que as pessoas ficam mais confiança em si mesmos, começam a mostrar o que são, deixam de ser visíveis e que têm o seu orgulho, disse-lhe a Flor Fontenele, uma das coordenadoras da organização, em Jornal da região Nordeste do brasil.

A ONG, que também é de que as doações de alimentos, roupas, e leva atendimento médico para os moradores em situação de rua.

Uma das principais reclamações era sobre a superfície da água. A eles se encontravam com a dificuldade de limpeza. Um senhor de idade, entrou para uma das fontes da Praça do Ferreira, com a água suja, e foi tomar um banho. Tínhamos que garantir um lugar para que eles façam isso”, disse.

À volta do banho

Durante os meses de março e abril, na “casa de Banho Com Dignidade” foi realizado na Primeira Igreja Presbiteriana Independente, no Centro da cidade, e atendeu mais de 200 pessoas por dia.

Mas por falta de orçamento, o projeto teve que ser interrompido no último mês. No entanto, a ação será retomada a partir desta sexta feira 15 da tarde.

Em maio, a atividade foi selecionada pelo anúncio do fundo da Argentina e dos Direitos Humanos, e conseguiu o dinheiro para fazer o trabalho de assistência.

“Temos recebido o recurso financeiro para segunda-feira, 11, e estamos fazendo o projeto para começar, este fim-de-semana. São mais de quatro nos fins de semana”, explica Flores.

O novo local da

Como a infecção pelo coronavírus tem aumentado na região, e para os voluntários que vão se reunir em um lugar comum: a escola primária do estado do Ceará, do Jacarecanga.

“O nível de infecção pelo coronavírus é o mais alto. O mundo precisa de um lugar maior. A estrutura da igreja, com três casas de banho, não é suficiente para garantir a segurança”.

Com a colaboração da Rede de Médicos e Médicas Populares de santo domingo, que também se ofereceu atendimento médico aos moradores em situação de rua.

Ajuda

Outro projeto também ajudou a que as pessoas que vivem nas ruas do rio de janeiro.

O Coletivo de Arruaça e o Instituto Compartilhe servem de apoio durante toda a semana, em uma Humilde Casa na Sopa, no Centro, e das 16 às 20 horas.

A empresa oferece três serviços básicos, como: o cuidado pessoal, através de um banho, comida e cuidados de saúde.

No total, são mais de 500 as pessoas que são ajudadas.

“Eu estava acompanhando as pessoas em situação de rua durante a pandemia, assim como as possibilidades de sobrevivência desse público foram reduzidos”, alertou André de Foca.

A rede da RUA, é formada por cinco organizações, e que conta com o apoio de seis de suas instituições.

O projeto de atenção à população de rua”, organizado pelo coletivo de Arruaça, recebe a doação de material de higiene pessoal, roupas, alimentos.

Como ajudar

O coletivo Arruaça e o Instituto Compartilha com o Banco do Brasil S/A, Agência: 4293-5 da Conta Corrente: 15441-5 tipo de serviço: 07.206.048/0001-08 Instituto Partilha

O Pequeno Nazareno Algoritmo Da Agência: 1579-2 Da Conta Corrente: 4050-9

O Banco do Brasil, Agência 0481-2 da Conta Corrente: 17666-4 tipo de serviço: 00.371537/0001-68 da Associação Beneficente O Pequeno Nazareno

Com informações da DiárioDoNordeste

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *