Um jovem empresário que vende a paçoca em um sinal vermelho, para realizar o sonho, Só Boas Notícias

Lucas Schmidt - Fotos: reprodução / InstagramLucas Schmidt – o que te parece? / Instagram

Este é o Lucas, e Estimou que o de um empresário, de 21 anos de idade que tem estado a trabalhar desde os 13 e não tem medo da luta. Vende paçoca de semáforos, de Sumaré, no interior do estado de São Paulo, brasil, para arrecadar dinheiro e realizar seu sonho de ser empreendedor, e a conquista de “independência econômica”.

Mas os 5 dólares por uma paçoca? – Não! isso é parte do marketing, com bom humor, que foi criado para atrair o cliente e a venda do doce, de 1 a real, melhor que um sorriso para ele. É uma ideia simpática e criativa, para que o cliente acredita-se que é o mais barato, comprar e serem felizes.

Com a técnica da história, como se mostrou no Instagram com o dinheiro que recebe, em pouco mais de 2 horas de mão-de-obra:

“É de R$ 54,60, e a maioria das palavras doces, da motivação e da bênção, em apenas 2: 30 am hora de trabalhar”, reconheceu.

A história

Em uma entrevista concedida à SóNotíciaBa, Lucas (Schmidt, que nos contou que nasceu em cruz alta, no estado do Rio Grande do Sul, e foi com sua família no interior de São Paulo, brasil, há mais de 18 anos de idade, quando sua mãe teve que receber atendimento médico.

“Eu vim para SP, aos 3 anos de idade. Por motivos de saúde da minha mãe aproximou-se, trata-se de uma insuficiência renal. Nós viemos aqui, eu, minha irmã e meus pais, e só através da roupa e a mala”, disse.

“Devido a algumas complicações, minha mãe é feita a diálise, até o dia de hoje!”, tenho dito.

Com o passar dos anos, a família se instalou em Sumaré.

“Deus tem nos abençoado desde sempre, deu-nos uma das casas do parlamento, o que deu um passeio através de trabalhos de pintura, alvenaria e o aluno, que o meu pai fez. E, quando mandou as pessoas de um coração enorme, que nos ajudaram nos momentos mais difíceis.”, diz o apóstolo.

Trabalhar em tenra idade

O rapaz conta que começou a trabalhar cedo, ajudando o pai no serviço de pintura de casas e, em seguida, trabalhou como aprendiz de um supermercado e a domicílio.

“No campo das vendas, que vendem roupas, acessórios, produtos eletrônicos, artigos de casa de banho, doces, sobremesas, o chaveiro, a pipa, e um monte de outras coisas que não vou lembrar agora.

Também foi realizado um curso de solda no SENAI e entrou na área, mas descobriu que não era a grande paixão de sua vida.

“Eu tenho trabalhado em um Estilingue, um fabricante de veículos a motor e uma carta de apresentação. E, depois destas experiências, eu me dei conta de que não era isso que eu queria para mim. Trabalhar para alguém. Nunca fiz corpo mole com o que trabalhar, e muito menos com o pessoal. Por outra parte, eu sempre grato a Deus, mas eu sabia que algo estava errado”.

O empreendimento

Foi nas ruas de Lucas e encontrou a felicidade no trabalho:

“Eu Me dei conta de que eu gostava de me relacionar com as pessoas, ouvi-las e de lidar com eles, e eu não queria passar o resto de minha vida, dentro de uma empresa, a não ser por causa de um salário e os benefícios, por isso que a qualquer momento pode ser substituído por outro, ou ainda, que todo o meu esforço não teria tido um impacto sobre a empresa”, disse.

“Eu cheguei à conclusão de que, se eu trabalhasse para mim, eu não poderia continuar a dar o meu esforço e a minha força de vontade, já que eu gostaria de ver o resultado do meu esforço em um projeto em que eu escolhi seguir.

E decidiu trabalhar por conta própria. Hoje em dia, além de vender paçocas segundo são Lucas pintando um apartamento com um amigo, o que se chama a condição de sócio.

No futuro, o empresário também quer ajudar os pais de família.

“Eu sempre sonhei com uma vida muito tranquila, para eles, para dar-lhes tudo o que me tens dado, e muito mais! Foi então que eu decidi ir em busca da minha independência financeira”, disse.

E explica o significado da liberdade financeira, me disse:

“Para mim, a liberdade econômica é a de poder fazer o que se quer, sem prejuízo de que, por não ter dinheiro ou de tempo. Eu acho que só se possa alcançar a sua liberdade financeira trabalhando para você… e Se eu estou certo ou não, eu não posso garantir, mas sou consciente de que, enquanto Deus me der forças, eu vou correr atrás do que eu acredito é o mais adequado para mim”, disse.

O que tem claro o que é agora, o que você precisa para economizar dinheiro e estudar mais para continuar crescendo.

“Eu gostaria de fazer cursos relacionados com as vendas, as empresas, o marketing, a administração e outras pessoas que se encontram ligados à parte da empresa. Já que tenho a intenção de montar um negócio no futuro, mas eu não sei em que área, mas eu já estou guardando dinheiro para isso”, concluiu.

 

View this post no Instagram

 

Aceitar a paçoca, para adoçar o dia?? 😁🙌🏻 . . . . . . #vendedorambulante #paçoca #pacoca #vendedor #obrigadodeus #deusefiel🙏 #deuséfiel #embuscadaliberdadefinanceira #sonhos #sonhoseplanos #sonho #meutrabalho #paçoquinha #paçoquita #pacoquinha #bomdia

O post é compartilhado por Lucas, e Schmidt (@lucasschmidt_g on Jul 10, 2020 at 6:47am do PDT

Por Rinaldo de Oliveira, da redação da SóNotíciaBoa

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *